ZINCO + PELE OLEOSA: CONHEÇA OS BENEFÍCIOS DO ATIVO MINERAL PARA QUEM TENDÊNCIA AO BRILHO EXCESSIVO NO ROSTO

Com certeza, você já ouviu falar sobre zinco em algum momento da sua vida. Porém, sabia que, além da tabela periódica, esse elemento é superimportante para a saúde da pele, especialmente para a oleosa? A substância é fundamental no processo de cicatrização das lesões de espinhas, além de possuir um efeito anti-inflamatório. Quer saber outros benefícios desse ativo? A dermatologista Tatiana Matos, da Bahia, contou para o DermaClub.
A falta de zinco pode refletir em vários problemas para a pele
O zinco está presente em quase todo o corpo. Suas enzimas se concentram nos ossos, unhas, cabelo e, principalmente, no sangue e na pele. A falta desse elemento pode levar à muitas complicações, como cicatrização lenta, aumento da oleosidade, aparecimento de espinhas, eczema e psoríase. Por isso, o zinco é tão crucial para manter a pele viçosa, bonita e, principalmente, saudável.
Entenda os efeitos desse mineral para a pele com acne, queimaduras e outras lesões
Uma das funções mais importantes do zinco é estimular o trabalho dos glóbulos brancos do sangue. Eles são fundamentais para o sistema imunológico, agindo no processo de defesa do organismo contra diversas agressões, como queimaduras e feridas, que surgem na pele. De acordo com a Dra. Tatiana, dessa forma, a substância também é uma forte aliada para o tratamento da acne, já que diminui o processo inflamatório das lesões de espinhas. “O zinco também ajuda a aumentar o tempo de efeito da toxina botulínica, em prol do rejuvenescimento do rosto”, explicou.
Os benefícios que o zinco oferece para a pele oleosa
O ativo é eficaz para muitos quadros dermatológicos, mas quem acaba aproveitando melhor os benefícios do zinco, sem dúvidas, são as pessoas que têm tendência à oleosidade. Isso porque o mineral é responsável por organizar a queratinização da pele, colaborando com o controle da secreção sebácea. “A queratina produzida, normalmente, obstrui os poros, resultando na formação da acne. Assim, a substância regula a produção de brilho e, consequentemente, a formação de cravos e espinhas”, contou a médica.
Onde encontrar o zinco no dia a dia?
Deu para perceber que o zinco tem ações importantes para a saúde de todo organismo. Mas, como podemos aproveitar os benefícios do ativo ao longo do dia? Existem muitos dermocosméticos que o possuem na composição e, por isso, é importante conversar com um dermatologista para descobrir as melhores opções para as suas necessidades. Uma das alternativas é investir em produtos à base de zinco, que minimizam o brilho da pele e ainda agem como tratamento para a pele oleosa.

Fonte: dermaclub.com.br

De bem com o espelho

Na hora de olhar no espelho, quase sempre existe uma insegurança em relação a própria imagem. Segundo a pesquisa “O que a sua pele conta”, realizada pelo Ibope Inteligência (2015), 94% das mulheres com idades entre 30 e 60 anos têm algum sinal na pele do rosto que as incomoda, prejudicando a autoestima. Para contornar essa insatisfação, o segmento de estética médica facial tem investido muito no desenvolvimento de tratamentos cada vez mais seguros, eficazes, tecnológicos e minimamente invasivos.

As mulheres querem mesmo estar mais bonitas, e buscam por isso durante as consultas: É fato que os procedimentos estéticos faciais podem sim melhorar, e muito, a autoestima. Seja porque minimizam os efeitos negativos do processo de envelhecimento, como a flacidez e o aspecto de cansaço ou, em uma face jovem, quando ajudam a harmonizar o rosto, melhorando a textura de pele, a estrutura, corrigindo assimetrias, tratando acne e suas cicatrizes ou manchas. E quem pensa que os homens não se cuidam, puro engano, o preconceito está ficando de lado e o público masculino interessado em realçar a beleza com tratamento minimamente invasivos está crescendo a cada dia.

A  importância da orientação de um médico especialista para que, juntos, possam definir um plano de tratamento: Existem vários tipos de procedimentos estéticos não cirúrgicos: a toxina botulínica A, laser, radiofrequência, ultrassom, peelings, dermocosméticos etc.  Com certeza, seu médico é a pessoa mais indicada para esclarecer as possibilidades e indicar o caminho para ter sua autoestima de volta.

Entre as novidades do setor já disponíveis e muito procuradas, estão as técnicas de preenchimento facial de ácido hialurônico que já foram apresentadas por aqui: MD Codes™ e MD Codes™ Visionary. Criadas para trazer mais segurança tanto para a paciente quanto para o especialista, elas permitem que o médico tenha uma visão global da face e dos resultados esperados.

A baixa autoestima também é capaz de interferir no sistema imunológico e na produção de hormônios, podendo aumentar o grau de estresse, de cortisol, reduzir a produção de serotonina (que pode causar depressão) e queda da imunidade. E quando tudo isso acontece, a pele acaba sofrendo o que impacta diretamente na aparência como um todo.

Vale lembrar que os cuidados com a pele não estão restritos aos tratamentos realizados em consultórios ou clínicas.  Por isso, nada de deixar de lado a limpeza diária e a hidratação para conquistar uma aparência bonita e saudável.

 

Fonte: alemdabeleza.com.br

PELE OLEOSA: PROTETOR SOLAR FÍSICO 100% MINERAL É INDICADO PARA QUEM TEM TENDÊNCIA A BRILHO EXCESSIVO E ACNE

Você já sabe que a proteção solar é um dos passos fundamentais para a saúde da pele, e ela não só minimiza as chances de queimaduras e câncer de pele, como também evita o envelhecimento precoce. Agora, a novidade na indústria dermocosmética é o filtro solar mineral 100% físico, que, antes, era indicado somente para pessoas com tendência à sensibilidade. No entanto, hoje, existem opções ideais para uso diário, inclusive para quem tem pele oleosa ou acneica. Ficou curiosa para saber mais sobre o produto? Olha só!

Quais são os diferenciais do protetor solar mineral 100% físico

O filtro solar físico oferece alta proteção contra as radiações UVA e UVB e é composto por minerais, como dióxido de titânio e óxido de zinco. Assim, sua tecnologia permite que, ao aplicar o produto sobre a pele, os raios sejam refletidos. O principal benefício desse tipo de filtro solar é que ele atua sem causar reação química, criando uma barreira física de proteção.

O protetor solar mineral 100% físico é indicado para todos os tipos de pele, principalmente as oleosas

Como não há reação química na pele, a médica explica que o protetor solar mineral 100% físico é muito indicado para quem tem tendência à sensibilidade e à oleosidade, mas é ideal para todos os tipos de pele. O produto também é um importante aliado na prevenção contra manchas, como o melasma e marcas de acne, já que ajuda na proteção contra a luz visível – produzida por celulares, tablets e computadores, por exemplo -, que é uma das principais responsáveis pelo escurecimento cutâneo. Assim, peles sensíveis, com manchas, oleosas e acneicas são as mais beneficiadas pelo dermocosmético.

Veja como inserir o protetor solar mineral na rotina de cuidados com a pele

O filtro solar mineral 100% físico deve ser utilizado como qualquer outro fotoprotetor. Logo pela manhã, com a pele limpa, e após a sua rotina de tratamento, aplique o produto, garantindo que todas as áreas expostas sejam atendidas. Não esqueça de reaplicá-lo ao longo do dia, e caso esteja na praia ou na piscina, passe novamente o produto após o mergulho.

 

Fonte: dermaclub.com.br

Devo ter medo dos tratamentos estéticos?

Houve um tempo em que os tratamentos de rejuvenescimento eram alvo de preconceito e resistência de pacientes que temiam intervir em uma área tão delicada quanto o rosto. Hoje, com o avanço da estética médica facial, alguns procedimentos podem ser feitos de forma tranquila e os resultados são cada vez mais naturais.

O QUE É O ÁCIDO HIALURÔNICO E TOXINA BOTULÍNICA A

A toxina botulínica A é uma substância que atua paralisando o músculo ou reduzindo a força do mesmo, sendo assim, ao relaxar a contração muscular, suavizamos os vincos já existentes. O tratamento continuado pode prevenir o surgimento das rugas e ainda reverter as antigas. 

 O ácido hialurônico é uma substância naturalmente presente no organismo humano. Trata-se de uma molécula de açúcar que atrai e retém a água ao seu redor, dando mais viço, firmeza e textura homogênea à pele. Com o passar do tempo, sua concentração diminui, o que promove o surgimento de rugas e ressecamento. 

 A linha JUVÉDERM® traz produtos inovadores que podem ser usados para dar estrutura e harmonia na face. Eles repõem estrutura nas áreas em que a gente perde volume com o passar dos anos e a idade. Destacando por exemplo a maçã do rosto, que fica mais bonita quando tratada adequadamente, ou suavizando o bigode chinês, que pode ficar mais sutil e assim sucessivamente.

O TRATAMENTO É DOLORIDO?

JUVÉDERM® já vem com anestésico em sua formulação, sendo assim, traz mais conforto ao paciente. Já a toxina botulínica A, não vem com anestésico, porém, como o volume a ser utilizado na face é pequeno, são adotadas medidas como uso de gelo ou massagens na face para tirar a tensão do ponto de dor. Em geral, os pacientes não acham os tratamentos doloridos.

RESULTADOS

Os resultados podem variar de acordo com a técnica de aplicação, produto utilizado e área tratada…  Por isso e para evitar insucessos dos tratamentos, como face paralisada, sem expressão e com lábio chamativo, entre outros casos,., gostaria de destacar que a escolha do profissional para realização do procedimento é fundamental, assim como verificar se o produto a ser aplicado é de qualidade.

 Hoje, homens e mulheres querem apresentar uma aparência natural e saudável. Suavizar as marcas de expressão é mais importante do que eliminar por completo essas marcas. Os preenchedores faciais com ácido hialurônico permitem resultados mais naturais, principalmente ao usar a técnica MD Codes®. O método mapeia os pontos do rosto para identificar exatamente onde devem ser feitos procedimentos estruturais a fim de harmonizar a face como um todo e não apenas tratar rugas e outras marcas de expressão. A partir dessa análise, o médico especialista faz aplicações para suavizar os efeitos da idade.

REAÇÕES ADVERSAS

Em alguns casos, podem acontecer pequenos edemas (inchaços) e/ou hematomas (manchinhas roxas), mas nada que seja considerado muito significativo, podendo inclusive variar de pessoa para pessoa, além de serem efeitos transitórios.

PROCESSO DE RECUPERAÇÃO

Não é preciso interromper a rotina diária, com exceção da prática esportiva apenas no dia do tratamento. O paciente consegue voltar para quase todas as suas atividades no mesmo dia.

 

Fonte: alemdabeleza.com.br

HIDRATAÇÃO + FILTRO SOLAR NO INVERNO: ENTENDA COMO ESSA COMBINAÇÃO PODE AUMENTAR A PROTEÇÃO DA SUA PELE

Sabe-se que tanto o hidratante quanto o filtro solar são indispensáveis para manter a saúde e a beleza da pele, mesmo no inverno. Mas, você sabia que esses dois produtos, juntos, oferecem uma proteção ampla para o corpo e o rosto durante a estação?

Entenda por que a proteção solar também deve ser uma preocupação no inverno

A proteção solar deve ser uma preocupação em qualquer época do ano. Apesar da incidência de raios ultravioletas tipo B, que são os principais causadores de câncer de pele, ser menos no inverno, existem os raios do tipo A, que também são nocivos e possuem alto poder de penetração, causando melanoses solares e fotoenvelhecimento. Mesmo em dias nublados ou na neve, nós estamos suscetíveis aos efeitos da radiação solar. Além disso, os raios ultravioleta em excesso, ao longo dos anos, podem afetar o colágeno na pele, causando flacidez.

Saiba a importância de hidratar a pele no inverno

Durante esta estação, há uma baixa na umidade do ar e o corpo transpira menos. Esses dois fatores, aliados à rotina de banhos quentes e demorados e o uso de sabonetes em excesso removem a oleosidade natural da pele, contribuindo para o seu ressecamento. Por isso, a hidratação é fundamental para evitar coceiras, irritações, descamações e, principalmente, intensificar a barreira de proteção natural da pele.

Por que aliar hidratação e proteção solar no inverno?

Quando a pele está desidratada e a temperatura está baixa, a pele tende a ficar ressecada e, assim, a barreira cutânea fica frágil. “Essa ação deixa a pele exposta à radiação solar, ação de vírus, bactérias e outras doenças, como dermatites e alergias. Dessa forma, quando aplicamos o hidratante com protetor solar, além da pele ficar mais macia e nutrida, ela ganha uma camada extra de proteção contra agentes agressores.

 

Fonte: dermaclub.com.br

Livre-se dos pelos

Qual mulher não quer uma pele lisinha e livre de pelos? Provavelmente todas. Hoje em dia são muitos os métodos de conseguir esse objetivo, porém, em meio a tantas opções, é preciso escolher a que melhor se adepta ao seu corpo e bolso.

Seja qual for a técnica utilizada, é preciso escolher bem o local onde vai fazer, verificar a procedência dos materiais e se são descartáveis e, claro, contar com uma boa profissional.

Para a depilação ser menos dolorida é preciso puxar os pelos na direção contrária da que eles nascem, e de uma só vez. Assim, garantiremos que a pele não fique com caroços ou aquelas bolinhas indesejáveis.

Conheça outros métodos mais conhecidos e utilizados

Lâminas: o método mais comum e utilizado é a famosa lâmina. É a forma mais acessível e fácil de eliminar os pelos. Porém, a duração é pouca, geralmente de dois a três dias, dependendo do tipo de crescimento do seu pelo, pois retira-se o pelo superficialmente e não pela raiz. Além disso, a probabilidade alergias é grande com o uso contínuo da lâmina, os pelos tendem a ficar mais grossos e duros, encravando com mais facilidade.

Cera quente ou fria: são métodos eficazes e higiênicos. A depilação com cera quente é menos dolorida, isso porque a alta temperatura do produto faz com que o pelo saia com mais facilidade. Esse método faz com que a pele fique mais macia e os pelos demoram mais para crescer. O lado ruim é que a região pode ficar manchada caso você tenha uma pele muito sensível e demanda mais tempo. Cidinha indica dois tipos de ceras infalíveis: camomila e mel. A primeira é mais indicada para axilas e virilhas (regiões mais sensíveis) e o produto ajuda a combater irritações de pele. Já o mel é uma ótima opção para tornar a depilação menos dolorida e contém açúcar, um aliado na cicatrização.

Creme depilatório: indolor, age de forma superficial e proporciona resultado parecido com o uso das lâminas, já que apenas dissolve o pelo. É menos agressivo do que as demais práticas, pois não consiste em cortes, mas pode causar alergia à peles mais sensíveis. Laser: esse tipo de depilação pode doer, mas elimina o mal pela raiz, literalmente. A má notícia é que não possui um preço muito acessível: uma única sessão pode custar R$ 300,00. Os valores variam de acordo com a parte do corpo e o tipo de pelo, fator determinante também para definir o número de sessões necessárias.

Aparelho: essa é uma técnica muito prática, com a qual os pelos demoram praticamente o mesmo tempo para crescer quanto os retirados com a cera. O aparelho elétrico os retira pela raiz e, por isso, pode ser um procedimento dolorido. A grande vantagem é poder se livrar dos pelos em qualquer momento – sem precisar agendar hora – e em qualquer lugar – como durante uma viagem.

Antes e depois da depilação

Hidratar a pele é o primeiro passo para uma boa depilação. Se o local onde for depilado estiver macio ajuda para que os pelos encravados sejam retirados com mais facilidade. Utilize sempre produtos à base de água, pois são leves, não agridem a pele e dificilmente alguma cliente terá alergia com sua aplicação. Outro ponto importante a ser analisado antes da depilação é o seu tipo de pele. A depiladora explica que para uma pele mais ressecada, por exemplo, na depilação com cera, ela utiliza produtos à base de camomila, pois contêm proteínas e deixam a região mais macia. Já uma pele oleosa pede uma limpeza com sabonete neutro antes de iniciar a depilação. Isso amenizará a oleosidade e evitará que o pelo arrebente. Para um resultado ainda mais satisfatório, independente do método, a hidratação da pele também após o procedimento é fundamental. Sempre finalizo a depilação com um bom produto à base de água para deixar a pele macia.

 

Fonte: alemdabeleza.com.br

INFLAMMAGING: A RELAÇÃO ENTRE A INFLAMAÇÃO DO ORGANISMO E O ENVELHECIMENTO PRECOCE

Inflammaging é um conceito novo na dermatologia, que corresponde ao processo inflamatório do organismo relacionado ao envelhecimento precoce. Alguns estudos ligam esse processo ao estresse oxidativo, que representa o excesso de radicais livres no corpo, que implica no aparecimento de rugas e flacidez, entre outras características.

Descubra o que é o conceito “inflammaging”

Iinflammaging é um novo campo de pesquisa científica e corresponde ao processo microinflamatório crônico e silencioso, que é relacionado ao envelhecimento. Uma parte desse processo é normal: trata-se de um balanço entre substâncias que favorecem a inflamação e aquelas que têm ação anti-inflamatória. Quando esse processo é maior e mais longo, acaba acelerando o envelhecimento, além de aumentar os riscos de doenças como Alzheimer, Parkinson, diabetes e tumores”.

Os mecanismos pelos quais o inflammaging afeta a pele ainda não são, totalmente, esclarecidos. No entanto, algumas teorias relacionam o processo ao estresse oxidativo – acúmulo de radicais livres -, estresse crônico e envelhecimento das células tronco.

É possível combater a inflamação do organismo?

Para combater o inflammaging, os tratamentos devem ser seguros, efetivos, não tóxicos e apropriados – tudo de forma individual. Confira os possíveis cuidados estratégicos:

– Restrição calórica: as dietas com baixas calorias são capazes de diminuir a liberação de mediadores inflamatórios, reduzindo, assim, o estresse oxidativo;

– Zinco: “lguns suplementos específicos que contêm zinco podem ter ação imunomoduladora, além de regular o balanço entre substâncias relacionadas ao envelhecimento e seus inibidores.

– Resveratrol: o ativo é responsável por diminuir a liberação de substâncias inflamatórias e inibir algumas vias relacionadas ao envelhecimento;

É importante ressaltar que o inflammaging é um conceito novo, por isso, as estratégias de abordagem ainda não estão completamente estabelecidas. Portanto, a automedicação não é, de maneira alguma, recomendada. Converse com o seu dermatologista para saber mais sobre o assunto.

 

Fonte: dermaclub.com.br

Como cuidar da pele oleosa

Quem tem pele oleosa sofre com brilho excessivo e o aparecimento de acnes. Para reverter essa situação, é preciso conhecer os produtos mais indicados para esse tipo de cútis.

Além da predisposição genética, a alimentação e os hábitos do dia a dia também são fatores importantes e que devem ser considerados ao cuidar da pele oleosa. Comer com frequência alimentos muito gordurosos ou com alto índice glicêmico, como frituras e doces, colabora para aumentar a oleosidade. Viver em um lugar muito quente e úmido também não ajuda. A cada aumento de 1°C na temperatura da cútis, há 10% a mais da produção de sebo..

O uso de cosméticos muito cremosos também contribui para o aumento do brilho da pele. A escolha dos produtos corretos é muito importante. Pessoas que sofrem com a oleosidade devem preferir cosméticos adstringentes como géis, sabonetes e loções que contenham ácido salicílico.

Esfoliação uma vez por semana também pode ser uma boa pedida, já que ajuda a remover as células mortas. A hidratação com os produtos específicos é essencial para cuidar da pele oleosa, pois a falta dela pode piorar o problema.

Os tratamentos indicados são peelings químicos superficiais, como o de ácido retinóico ou ácido salicílico. Em casos mais graves, também vale investigar se existem outros fatores internos atuando, como os hormônios desregulados. Para esse tipo de problema, indica-se o uso da isotretinoína via oral, durante período indicado pelo dermatologista. Dessa forma, a produção de sebo vai diminuindo gradativamente.

Certamente, a boa notícia para quem sofre com a oleosidade é a menor propensão para as rugas. A cútis é mais resistente à ação dos agressores externos e capaz de promover a renovação celular com mais facilidade. Porém, é claro que com a chegada da idade, mesmo a pele oleosa enruga e envelhece. Nesses casos, o mais indicado é recorrer aos tratamentos de rejuvenescimento, como o preenchimento facial.

 

Fonte: alemdabeleza.com.br

MANCHAS VERMELHAS: QUAIS SÃO AS DOENÇAS QUE APRESENTAM ESTA CARACTERÍSTICA NA PELE COMO SINTOMA?

As manchas vermelhas que aparecem na pele podem surgir por diversos motivos, mas, geralmente, estão associadas a doenças como psoríase, micose, dermatoviroses e alergias.

Entenda por que aparecem manchas vermelhas na pele

As manchas vermelhas podem ser as primeiras alterações na pele que sinalizam algumas doenças cutâneas ou sistêmicas. Portanto, se elas apareceram, o primeiro passo deve ser procurar por um dermatologista para avaliação do quadro. Existem diversas causas para esse tipo de mancha na pele, entre as mais comuns, estão:

– Dermatoviroses

Zika e Dengue são exemplos de doenças nas quais as manchas vermelhas podem surgir em todo corpo e ainda são acompanhadas de coceira, assim como a rubéola. Nestes casos, o repouso é necessário – especificamente, a rubéola apresenta risco de contágio para outras pessoas. Assim, o acompanhamento médico é essencial.

– Psoríase

É representada por placas vermelhas, descamativas, de aspecto esbranquiçado e coceira, sendo mais comum em adultos, e não é contagiosa. A dermatologista afirma que para o tratamento dessa doença é necessário uma análise minuciosa, pois cada caso é diferenciado devido às características de cada pessoa.

– Alergias

As alergias podem ter causas variadas e, geralmente, possuem manchas vermelhas como um dos sintomas. Alimentos como amendoim, frutos do mar e corantes, medicamentos e picadas de insetos podem ser responsáveis pelo surgimento de marcas avermelhadas na corpo. Estas lesões podem surgir de forma pontual ou em placas, planas ou em alto relevo. O tratamento varia de acordo com a intensidade e extensão do quadro e, assim, podem ser utilizados corticoides e antialérgicos.

– Micoses

As lesões causadas por fungos, em geral, são vermelhas, com coceira e descamação. No entanto, nem toda lesão é micose. É comum confundir com casos de psoríase, por exemplo. Por isso, é importante consultar um dermatologista e não se automedicar, a fim de investir no tratamento correto.

– Câncer de Pele

Manchas vermelhas também podem sugerir sintomas de câncer de pele, como o carcinoma basocelular, carcinoma espinocelular ou melanoma. Deve-se ficar atento às lesões que sangram, ficam com irritação persistente ou sofrem mudança do seu aspecto inicial. Esse tipo de mancha costuma aparecer em áreas mais expostas ao sol, como braços, pernas e rosto. O diagnóstico e a abordagem terapêutica, nesses casos, podem ser decisivos no que diz respeito ao tratamento, principalmente, em quadros de melanoma.

É possível prevenir o surgimento dessas manchas vermelhas na pele?

A maior parte das manchas vermelhas aparecem por causas variadas. Por isso, muitas delas não podem ser prevenidas. No entanto, uma vez presentes, devem ser avaliadas pelo especialista, que realizará o diagnóstico, orientando e tratando cada caso da forma correta.

 

Fonte: dermaclub.com.br

Como escolher o demaquilante

É certo que a parte mais chata da maquiagem é retirá-la. As dificuldades de se adaptar a um produto prático e eficaz são frequentes.

O mercado está repleto de opções, inclusive algumas que podem ser usadas tanto na área dos olhos quanto no restante da face. Se você ainda fica confusa no momento de decidir pelo melhor produto para você, na hora da compra, também é importante considerar o seu tipo de pele, veja alguns exemplos:

Seca: escolha um cremoso, que seja elaborado com hidratantes como glicerina e semente de uva.

Normal: esse tipo de pele também se dá melhor com demaquilantes cremosos. Mas, se essa alternativa não te agrada, pode tentar os líquidos ou bifásicos (óleo + água).

Mista a oleosa: vá de produtos aquosos ou em gel, livres de óleo, com ingredientes que controlam a oleosidade, como zinco e ácido salicílico.

Sensível: a água micelar é a melhor indicação nesse caso, por ser leve também funciona como tonificante.

Outras dicas bacanas, é dar preferência a demaquilantes que possuem função calmante e evitar os que apresentam na formulação substâncias que podem causar irritações, como coloração e perfume.

Para quem tem aquela sensação que o rímel a prova d’água é eterno, segue o segredo: O demaquilante bifásico, nesse caso, é o maior aliado, por conter óleo ou silicone na sua composição ele é capaz de derreter a máscara e facilitar a remoção.

Se acabar o demaquilante, você pode substituir por óleo de amêndoas ou shampoo de bebê, que costumam ter um Ph balanceado e por serem isentos de álcool, não ardem os olhos.

No caso dos lencinhos, a dica para que eles durem muito é lacrar bem a embalagem para evitar que fiquem ressecados.

Durante a noite é quando as nossas células se renovam, portanto, nada de preguiça de remover a maquiagem antes de dormir!  A pele devidamente limpa nesse momento, evita o entupimento dos poros, cravos, espinhas e a cara de cansada no dia seguinte.

E aí, demaquilante bom é demaquilante caro? É mito, é aquele que atende às suas necessidades sem causar desconforto. 😉

 

Fonte: alemdabeleza.com.br