ROSÁCEA: além do rosto vermelho – postagem 1 de 4

A rosácea é uma dermatose inflamatória crônica observada principalmente na pele do rosto, com períodos de exacerbação e de melhora, afetando cerca de 10% da população. 1 É causada por um processo inflamatório que envolve vasos da pele e a unidade pilosebácea, levando ao desenvolvimento de eritema, com sintomas de dor, queimação, prurido e flushing (“crises de rubor facial”). 2 Esse componente inflamatório aumenta a sensibilidade da pele e diminui o limiar de tolerância a muitos agentes de uso tópico.

 

Epidemiologia

A rosácea é mais comum em pessoas com ascendência do norte da Europa e da Europa Ocidental, sendo muito comum também em norte-americanos, ocorre com menor frequência em outros grupos étnicos. A ocorrência é maior em mulheres que em homens, numa relação de aproximadamente 3:1. Pode-se manifestar com episódios de rubor facial em pacientes por volta dos 20 anos e esses episódios podem ficar mais frequentes e intensos ao redor dos 30 anos e, a partir de então, continuar a progredir.

 

Quadro clínico

Os pacientes com rosácea geralmente apresentam queixa de vermelhidão, flushing, prurido e pele sensível. A pele do rosto é avermelhada (figura 1), podendo apresentar pápulas, pústulas, telangiectasias e placas eritematosas. A erupção pode variar em função do grupo étnico, sendo que as pápulas e pústulas são menos comuns nos negros e seus descendentes. O comprometimento extrafacial em regiões como pescoço, colo e couro cabeludo pode ocorrer, mas geralmente é decorrente da manifestação da doença associada ao dano solar crônico. Vários fatores desencadeantes estão associados com períodos de piora do quadro, como:6-10.

  • agentes locais: cosméticos, retinoides, corticosteroides, sabonetes com alta detergência;
  • drogas: álcool, tabaco;
  • alimentos: pimenta, chocolate, cafeína, alimentos quentes;
  • alterações ambientais: frio excessivo, calor excessivo, vento;
  • outros: fatores emocionais, exercícios físicos, alterações hormonais.

    Figura 1. Rosácea: eritema centro-facial
    Figura 1. Rosácea: eritema centro-facial
Fonte: galena.com.br – texto escrito pela Dra. Érica Monteiro, Dermatologista Colaboradora do Setor de Cosmiatria, Cirurgia e Oncologia (UNICCO) do Departamento de Dermatologia da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (EPM/UNIFESP) Editora Científica do Suplemento Especial de Dermatologia e Cosmiatria da Revista Brasileira de Medicina (RBM)