ROSÁCEA: além do rosto vermelho – postagem 3 de 4

Rosácea pápulo

pustulosa Geralmente vista em mulheres de meia idade e é caracterizada pela presença de uma área de eritema nas regiões centrais da face, associado com pápulas e pústulas. O flushing pode ocorrer nesse subtipo, mas numa intensidade menor que a forma eritêmato-telangectásica.

 

Rosácea fimatosa Caracteriz

se pela presença de fima, levando a acentuado espessamento da pele. Esses são mais comumente vistos na superfície do nariz (rinofima), mas também podem estar presentes nas bochechas, fronte, orelhas e/ou pálpebras. Diferente dos outros tipos de rosácea, os tratamentos dos fimas geralmente necessitam de procedimentos

 

Rosácea Ocular Caracteriza

se por achados oculares e perioculares que incluem blefarite e conjuntivite, e eventualmente podem evoluir para ceratite, esclerite ou irite. Os pacientes com rosácea ocular podem sentir queimação ou prurido, aumento da sensibilidade a luz e sensação de corpo estranho. Além dos subtipos mencionados, existem outras 3 variantes: rosácea fulminans, rosácea granulomatosa e rosácea esteroidal.

 

Fonte: galena.com.br – texto escrito pela Dra. Érica Monteiro, Dermatologista Colaboradora do Setor de Cosmiatria, Cirurgia e Oncologia (UNICCO) do Departamento de Dermatologia da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (EPM/UNIFESP) Editora Científica do Suplemento Especial de Dermatologia e Cosmiatria da Revista Brasileira de Medicina (RBM)