Componentes alergênicos presentes nos cosméticos – post 3 de 3

FRAGRÂNCIAS

Por definição, perfume é uma preparação que contém álcool, água e fragrância que, por sua vez, é constituída por uma harmoniosa mistura de diversas matérias-primas naturais ou sintéticas. As fragrâncias podem ser utilizadas em diversos produtos como colônias, hidratantes, xampus, desodorantes, produtos de limpeza, entre outros.

As fragrâncias características dos perfumes foram obtidas durante muito tempo exclusivamente a partir de óleos essenciais extraídos de flores, plantas, raízes e de alguns animais selvagens. Esses óleos receberam o nome de óleos essenciais porque continham a essência, ou seja, aquilo que confere à planta seu odor característico. Para que os óleos essenciais possam ser usados nos cosméticos, devem ser separados do resto da planta. Uma vez obtido um óleo essencial, a análise química permite identificar quantos e quais componentes estão presentes, mesmo aqueles em quantidades mínimas. Alguns óleos essenciais chegam a ter mais de 30 componentes e quando identificados, é possível fabricá-los sinteticamente. A alquimia aromática é extremamente complexa. Cada matéria-prima possui um ponto específico de evaporação, algumas desaparecem em poucos minutos, outras permanecem por algumas horas e outras podem durar por um ou mais dias.

De acordo com o FDA concluiu-se que entre 7% e 18% dos indivíduos podem ter alguma forma de sensibilidade ou intolerância a fragrâncias. Por conta disso, tem crescido muito a quantidade de fórmulas manipuladas personalizadas, que permitem a manipulação do cosmético de forma individualizada, segundo as necessidades específicas do paciente.

 

Fonte: galena.com.br