ROTEÇÃO SOLAR INFANTIL: COMO ESCOLHER? SAIBA COMO MANTER AS CRIANÇAS PROTEGIDAS DOS RAIOS UV

Verão é sinônimo de férias, além de ser uma das épocas preferidas das crianças durante o ano, já que os passeios em família para praia e piscina são mais comuns. No entanto, os pequenos também precisam proteger a pele da exposição solar, até mais do que os adultos.

Crianças precisam de proteção solar especial

A pele das crianças é muito mais sensível e, por isso, precisa de uma maior proteção solar. Os filtros solares para adultos possuem mais substâncias químicas que, se usadas em crianças, podem penetrar a pele e atingir o organismo, provocando reações alérgicas. “Os filtros especiais para crianças têm menor quantidade de filtros químicos, são predominantemente constituídos por físicos, que atuam refletindo os raios UV, além de serem mais seguros para a pele sensível”.

Descubra qual a melhor forma de proteger as crianças da exposição solar

Evitar o sol é a melhor opção, mas, no verão, a vontade de ficar na praia ou na piscina é grande. Por isso, o ideal é usar filtro solar com FPS igual ou maior a 30 e aplicar de forma generosa, a cada duas horas ou após o mergulho. “Até os seis meses, o ideal é não expor a criança diretamente ao sol. Mas, entre os seis meses e dois anos, recomendo passar protetor solar adequado e, sempre que possível, usar chapéus e roupas especiais com fator de proteção ultravioleta (FPU)”.

Além do protetor, qual a outra forma de proteger a criança da exposição solar?

As roupas com fator de proteção são uma escolha prática, já que protegem todo o tronco. O banho de sol, necessário em bebês para a síntese de vitamina D, deve ser de 20 minutos, se a criança estiver vestida, e apenas 5 minutos, só de fralda. Dessa forma, filtros solares só podem ser usados a partir dos seis meses de idade, pois não existem estudos que atestem a segurança dos protetores abaixo dessa idade.

 

Fonte: dermaclub.com.br