Livre-se dos pelos

Qual mulher não quer uma pele lisinha e livre de pelos? Provavelmente todas. Hoje em dia são muitos os métodos de conseguir esse objetivo, porém, em meio a tantas opções, é preciso escolher a que melhor se adepta ao seu corpo e bolso.

Seja qual for a técnica utilizada, é preciso escolher bem o local onde vai fazer, verificar a procedência dos materiais e se são descartáveis e, claro, contar com uma boa profissional.

Para a depilação ser menos dolorida é preciso puxar os pelos na direção contrária da que eles nascem, e de uma só vez. Assim, garantiremos que a pele não fique com caroços ou aquelas bolinhas indesejáveis.

Conheça outros métodos mais conhecidos e utilizados

Lâminas: o método mais comum e utilizado é a famosa lâmina. É a forma mais acessível e fácil de eliminar os pelos. Porém, a duração é pouca, geralmente de dois a três dias, dependendo do tipo de crescimento do seu pelo, pois retira-se o pelo superficialmente e não pela raiz. Além disso, a probabilidade alergias é grande com o uso contínuo da lâmina, os pelos tendem a ficar mais grossos e duros, encravando com mais facilidade.

Cera quente ou fria: são métodos eficazes e higiênicos. A depilação com cera quente é menos dolorida, isso porque a alta temperatura do produto faz com que o pelo saia com mais facilidade. Esse método faz com que a pele fique mais macia e os pelos demoram mais para crescer. O lado ruim é que a região pode ficar manchada caso você tenha uma pele muito sensível e demanda mais tempo. Cidinha indica dois tipos de ceras infalíveis: camomila e mel. A primeira é mais indicada para axilas e virilhas (regiões mais sensíveis) e o produto ajuda a combater irritações de pele. Já o mel é uma ótima opção para tornar a depilação menos dolorida e contém açúcar, um aliado na cicatrização.

Creme depilatório: indolor, age de forma superficial e proporciona resultado parecido com o uso das lâminas, já que apenas dissolve o pelo. É menos agressivo do que as demais práticas, pois não consiste em cortes, mas pode causar alergia à peles mais sensíveis. Laser: esse tipo de depilação pode doer, mas elimina o mal pela raiz, literalmente. A má notícia é que não possui um preço muito acessível: uma única sessão pode custar R$ 300,00. Os valores variam de acordo com a parte do corpo e o tipo de pelo, fator determinante também para definir o número de sessões necessárias.

Aparelho: essa é uma técnica muito prática, com a qual os pelos demoram praticamente o mesmo tempo para crescer quanto os retirados com a cera. O aparelho elétrico os retira pela raiz e, por isso, pode ser um procedimento dolorido. A grande vantagem é poder se livrar dos pelos em qualquer momento – sem precisar agendar hora – e em qualquer lugar – como durante uma viagem.

Antes e depois da depilação

Hidratar a pele é o primeiro passo para uma boa depilação. Se o local onde for depilado estiver macio ajuda para que os pelos encravados sejam retirados com mais facilidade. Utilize sempre produtos à base de água, pois são leves, não agridem a pele e dificilmente alguma cliente terá alergia com sua aplicação. Outro ponto importante a ser analisado antes da depilação é o seu tipo de pele. A depiladora explica que para uma pele mais ressecada, por exemplo, na depilação com cera, ela utiliza produtos à base de camomila, pois contêm proteínas e deixam a região mais macia. Já uma pele oleosa pede uma limpeza com sabonete neutro antes de iniciar a depilação. Isso amenizará a oleosidade e evitará que o pelo arrebente. Para um resultado ainda mais satisfatório, independente do método, a hidratação da pele também após o procedimento é fundamental. Sempre finalizo a depilação com um bom produto à base de água para deixar a pele macia.

 

Fonte: alemdabeleza.com.br